ÚLTIMAS NOTÍCIAS - ANO JUBILAR 150

Arquivos Mensais: setembro 2016

LITURGIA DIÁRIA – 30/09/2016

REFLEXÃO

“No seu sofrimento e aflição humana Jó tentava argumentar com Deus questionando a situação de penúria que estava enfrentando. E o Senhor, com paciência, “no meio da tempestade”, isto é, na hora do maior martírio de Jó, respondeu aos seus lamentos e deu explicações que fizeram-no reconhecer a sua precipitação em falar e a sua ignorância em querer arguir a Deus. Mesmo que tenhamos liberdade para fazê-lo, argumentar com Deus pode se tornar um combate estéril, pois nunca poderemos abranger os Seus desígnios, mas somente confiar nos Seus propósitos. Só Ele sabe tudo, porque fez tudo e tem ciência exata de como todas as coisas funcionam. Hoje, nós também, muitas vezes vulgarmente acusamos a Deus das desgraças que nos acontecem e com a maior facilidade e displicência ousamos ensiná-Lo a governar o mundo e conduzir os acontecimentos. Todos nós almejamos que o melhor sempre aconteça e não percebemos que a nossa participação é decisiva e oportuna para que o bem vença o mal. Queríamos ser como robôs nas mãos do Senhor para que nada dependesse das nossas ações. No entanto, o Senhor faz a sua parte e deixa ao nosso encargo o que a nós compete realizar. – Você também costuma culpar a Deus pelas coisas que você não esperava que ocorressem? – Você costuma questionar as “desgraças” da sua vida? – Você tem consciência daquilo que compete a você e do que compete a Deus?”

Por meio deste Evangelho somos chamados (as), hoje a repensar as nossas ações e a nos comprometer com uma mudança nas nossas atitudes. Jesus recriminava as pessoas das cidades onde milagres eram realizados, e nem por isso, tomavam consciência para mudar de atitude e dar testemunho de fé. Assim sendo, elas não se convertiam, não progrediam espiritualmente e davam contra testemunho diante das outras cidades. O mundo precisa de testemunhas fiéis a Jesus, para ser restaurado e nós, como verdadeiros cristãos, podemos estar jogando fora o tempo precioso em que estamos vivendo. Devemos ter em mente que a fé remove montanhas e o testemunho da nossa fé poderá transformar o coração e a vida do povo de Deus. A cada dia Jesus nos concede novas oportunidades para escutar a Sua voz por meio da Sua Palavra, assim como também, dos acontecimentos da nossa vida e continua na Sua missão de nos exortar e advertir. Jesus abre os nossos olhos para que distingamos as Suas obras no meio de nós, às quais muitas vezes nem percebemos porque não exercitamos a nossa fé.”

Fonte: http://blogdasagradafamilia.blogspot.com.br/

liturgia-diaria_-30-09-2016

26ª Semana Comum – Sexta-feira 30/09/2016

Primeira Leitura (Jó 38,1.12-21; 40,3-5)

Leitura do Livro de Jó.

1O Senhor respondeu a Jó, do meio da tempestade, e disse: 12 “Alguma vez na vida deste ordens à manhã, ou indicaste à aurora o seu lugar, 13 para que ela apanhe a terra pelos quatro cantos, e sejam delas sacudidos os malfeitores? 14 A terra torna a argila compacta, e tudo se apresenta em trajes de gala, 15 mas recusa-se a luz dos malfeitores e quebra-se o braço rebelde. 16Chegaste perto das nascentes do Mar, ou pousaste no fundo do Oceano? 17 Foram-te franqueadas as portas da Morte, ou viste os portais das Sombras? 18 Examinaste a extensão da Terra? Conta-me, se sabes tudo isso! 19 Qual é o caminho para a morada da luz, e onde fica o lugar das trevas? 20 Poderia alcançá-las em seu domínio e reconhecer o acesso à sua morada? 21 Deverias sabê-lo, pois já tinhas nascido e grande é o número dos teus anos!” 40,3 Jó respondeu ao Senhor, dizendo: 4 “Fui precipitado. Que te posso responder? Porei minha mão sobre a boca. 5 Falei uma vez, não replicarei; uma segunda vez, mas não falarei mais”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 138)

— Conduzi-me no caminho para a vida, ó Senhor!

Conduzi-me no caminho para a vida, ó Senhor!

— Senhor, vós me sondais e conheceis, sabeis quando me sento ou me levanto; de longe penetrais meus pensamentos, percebeis quando me deito e quando eu ando, os meus caminhos vos são todos conhecidos.

— Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? E para onde fugirei de vossa face? Se eu subir até os céus, ali estais; se eu descer até o abismo, estais presente.

— Se a aurora me emprestar as suas asas, para eu voar e habitar no fim dos mares; mesmo lá vai me guiar a vossa mão e segurar-me com firmeza a vossa destra.

— Fostes vós que me formastes as entranhas, e no seio de minha mãe vós me tecestes. Eu vos louvo e vos dou graças, ó Senhor, porque de modo admirável me formastes! Que prodígio e maravilha as vossas obras!

Evangelho (Lc 10,13-16)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 13“Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que foram feitos no vosso meio, há muito tempo teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e sentando-se sobre cinzas. 14Pois bem: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia terão uma sentença menos dura do que vós. 15Ai de ti, Carfanaum! Serás elevada até o céu? Não, tu serás atirada no inferno. 16Quem vos escuta a mim escuta; e quem vos rejeita a mim despreza; mas quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 29/09/2016

REFLEXÃO

“Observe quantas vezes o verbo “ver” foi citado neste texto: 5 vezes! Mas nem sempre o “ver” daqui é sinônimo de “olhar”. Jesus viu Natanael chegar e disse que ali vinha um “israelita de verdade, sem falsidade”. Em seguida é que vem uma parte interessante… Natanael pergunta: “De onde me conheces?” E a resposta de Jesus é, no mínimo, intrigante. Preste atenção: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas embaixo da figueira, eu te vi.” Jesus respondeu a pergunta de Natanael? Aparentemente, não. Mas a resposta de Jesus, para Natanael, foi tão perfeita, que na mesma hora ele reconheceu “o Filho de Deus, o Rei de Israel”. A pergunta que não quer calar: O QUE NATANAEL ESTAVA FAZENDO EMBAIXO DESSA FIGUEIRA?

        A psicologia diz que todos nós, na maioria das vezes quando estamos diante de alguém, representamos. E isso acontece até com os bebês. Quando percebemos que estamos sendo observados, não agimos da mesma forma que quando não estamos sendo observados. E é no momento em que não estamos sendo observados que nós realmente deixamos vir à tona o nosso íntimo… aquilo que está no nosso CORAÇÃO e que somente nós conhecemos. E você só pode dizer que conhece uma pessoa, de verdade, se você conhecer o CORAÇÃO dela.

        Nós nunca saberemos exatamente o que Natanael estava fazendo embaixo daquela figueira. Naquele momento, Natanael não imaginava que estava sendo observado. Mas Jesus observou atentamente e tirou uma conclusão desta sua observação: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. Jesus era DISCRETO, não disse o que Natanael estava fazendo naquele seu momento pessoal.

        Sócrates dizia: “Conhece-te a ti mesmo.” Quer saber quem você é? Observe que direção seus pensamentos tomam, quando você está completamente sozinho… Não se preocupe, ainda não inventaram um jeito de ver seus pensamentos. É quando você se despreocupa de passar qualquer imagem, que você mostra realmente o que tem no seu coração. Quem consegue captar esses momentos (como Jesus captou o de Natanael) tem um dom especial: conhecer o íntimo de uma pessoa, às vezes até melhor do que a própria pessoa.

        Não gostou do caminho que os seus pensamentos seguem quando você deixa eles voarem por eles mesmos? Eles vão para o pecado, para a depressão, para lugar nenhum?… Não se preocupe, isso tem uma solução. O nosso inconsciente é burro. Não consegue diferenciar o entre o certo e o errado. Nós temos que alimentá-lo, conscientemente, com coisas boas. Escute uma música bonita, leia algo prazeroso, converse com alguém alegre, viaje, aprenda algo novo, assista um bom filme… O seu inconsciente vai ficar repetindo isso ao seu coração… e quando Jesus te ver no teu quarto, sozinho, e disser que te viu, você saberá que Ele te conhece, verdadeiramente.

Jailson Ferreira

jailsonfisio@hotmail.com”

Fonte: http://reflexaoliturgiadiaria.blogspot.com.br/2007/09/reflexo-evangelho-do-dia-29-de-setembro.html

liturgia-diaria_-29-09-2016

26ª Semana Comum – Quinta-feira 29/09/2016

Primeira Leitura (Dn 7,9-10.13-14)

Leitura da Profecia de Daniel.

9Eu continuava olhando até que foram colocados uns tronos, e um Ancião de muitos dias aí tomou lugar. Sua veste era branca como neve e os cabelos da cabeça, como lã pura; seu trono eram chamas de fogo, e as rodas do trono, como fogo em brasa. 10Derramava-se aí um rio de fogo que nascia diante dele; serviam-no milhares de milhares, e milhões de milhões assistiam-no ao trono; foi instalado o tribunal e os livros foram abertos. 13Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho de homem, aproximando-se do Ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá.

— Palavra do Senhor.

Graças a Deus!

Responsório (Sl 137)

— Perante os vossos anjos vou cantar-vos, ó Senhor!

Perante os vossos anjos vou cantar-vos, ó Senhor!

— Ó Senhor, de coração eu vos dou graças, porque ouvistes as palavras dos meus lábios! Perante os vossos anjos vou cantar-vos e ante o vosso templo vou prostrar-me.

— Eu agradeço o vosso amor, vossa verdade, porque fizestes muito mais que prometestes; naquele dia em que gritei, vós me escutastes e aumentastes o vigor da minha alma.

— Os reis de toda a terra hão de louvar-vos, quando ouvirem, ó Senhor, vossa promessa. Hão de cantar vossos caminhos e dirão: “como a glória do Senhor é grandiosa!”

Evangelho (Jo 1,47-51)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 47Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. 48Natanael perguntou: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi”. 49Natanael respondeu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel”. 50Jesus disse: “Tu crês porque te disse: “Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!” 51E Jesus continuou: “Em verdade, em verdade eu vos digo: Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 28/09/2016

REFLEXÃO

Ontem vimos na primeira leitura Jó desabafando e clamando a Deus, e hoje, ele reconhecendo a majestade de Deus, sua grandiosidade. Comumente nos deparamos com situações em que o homem se confronta com Deus, mesmo sabendo que Seu poder são infinitamente superiores. Deus é perfeito e infinito; nós, imperfeitos e limitados, e ainda temos a ousadia de querer que Ele satisfaça os nossos desejos. Jó se conscientiza disso e reconhece que somente Deus é capaz de controlar e mudar qualquer situação. Se confiarmos no Senhor, deixarmos de querer controlar e fazer as coisas do nosso jeito, e deixá-Lo agir, certamente seremos surpreendidos pela magnitude da perfeição de tudo que Ele faz. Neste sentido, vemos o salmista clamando a Deus, pois ele sabe que só Deus sabe tudo e pode tudo. Sabe que é necessário perserverar na fé e na oração, elementos necessários a quem caminha com o Senhor.

Por falar em caminhar com o Senhor, no evangelho de hoje vimos Jesus usando uma parábola para ilustrar sobre o caminho do seu discipulado. Quem tem fé, e confia em Deus, e é por Ele chamado sabe que responder a Seu chamado é urgente. Vivemos esperando dias perfeitos para se dedicar a Deus, vivemos impondo condições para segui-Lo e para servi-Lo. Servir a Deus é uma grande alegria. Vimos as maravilhas do Senhor na vida do próximo e na nossa. Há coisas que dinheiro nenhum paga! Só sabe quem sente e vive isso. Qualquer apego é prisão, e Deus nos quer livres. O fardo de Jesus é leve. Qualquer que seja a nossa desculpa não deve ser maior e mais importante do que fazer a vontade de Deus e cumprir a nossa missão de construir o Seu Reino desde já, aqui na terra.

Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo!

liturgia-diaria_-28-09-2016

26ª Semana Comum – Quarta-feira 28/09/2016

Primeira Leitura (Jó 9,1-12.14-16)

Leitura do Livro de Jó.

1Jó respondeu a seus amigos e disse: 2“Sei muito bem que é assim: como poderia o homem ser justo diante de Deus? 3Se quisesse disputar com ele, entre mil razões não haverá uma para rebatê-lo. 4Ele é sábio de coração e poderoso em força; quem poderia enfrentá-lo e ficar ileso? 5Ele desloca as montanhas, sem que elas percebam e as derruba em sua cólera. 6Ele abala a terra em suas bases e suas colunas vacilam. 7Ele manda ao sol que não brilhe e guarda escondidas as estrelas. 8Sozinho desdobra os céus, e caminha sobre as ondas do mar. 9Criou a Ursa e o Órion, as Plêiades e as constelações do Sul. 10Faz prodígios insondáveis, maravilhas sem conta. 11Se passa junto de mim, não o vejo, e quando se afasta, não o percebo. 12Se ele apanha uma presa, quem ousa impedi-lo? Quem pode dizer-lhe: — ‘Que está fazendo?’ 14Quem sou eu para replicar-lhe, e contra ele escolher meus argumentos? 15Ainda que eu tivesse razão, não poderia replicar, e deveria pedir misericórdia ao meu juiz. 16Se eu clamasse e ele me respondesse, não creio que daria atenção à minha voz”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 87)

— Chegue a minha oração até a vossa presença!

Chegue a minha oração até a vossa presença!

— Clamo a vós, ó Senhor sem cessar, todo o dia, minhas mãos para vós se levantam em prece. Para os mortos, acaso, faríeis milagres? Poderiam as sombras erguer-se e louvar-vos?

— No sepulcro haverá quem vos cante o amor e proclame entre os mortos a vossa verdade? Vossas obras serão conhecidas nas trevas, vossa graça, no reino onde tudo se esquece?

— Quanto a mim, ó Senhor, clamo a vós na aflição, minha prece se eleva até vós desde a aurora. Por que vós, ó Senhor, rejeitais a minh’alma? E por que escondeis vossa face de mim?

Evangelho (Lc 9,57-62)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 57enquanto Jesus e seus discípulos caminhavam, alguém na estrada disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”.

58Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”. 59Jesus disse a outro: “Segue-me”. Este respondeu: “Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”. 60Jesus respondeu: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai anunciar o Reino de Deus”. 61Um outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”. 62Jesus, porém, respondeu-lhe: “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o Reino de Deus”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 27/09/2016

REFLEXÃO

“Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” (Lucas 9,54).

O questionamento dos irmãos Tiago e João deu-se, porque Jesus, ao subir para a Judeia, para Jerusalém, passou pelo território dos samaritanos. Uma vez que os samaritanos não tinham boa relação com os judeus, viram que Jesus estava indo naquela direção e viraram as costas para Ele, não quiseram acolhê-Lo nem a Seus discípulos.

No coração de Tiago e João veio esse sentimento torpe de vingança: “Manda descer fogo para destruí-los”. Jesus repreende a atitude deles: “De forma nenhuma! Não é porque não somos acolhidos que vamos retribuir da mesma maneira. Não é porque não somos amados, que vamos retribuir com o ódio. Não é porque o outro nos faz mal, que vamos também retribuir com o mal da mesma maneira”.

No pensamento evangélico, no coração de cada um de nós, conquistado pelo Sangue de Jesus, não pode haver espaço para a vingança, porque ela simplesmente entorpece o nosso coração, tira de nós os melhores sentimentos da alma, do corpo e do espírito!

Sei que há situações onde nos sentimos provocados, ficamos irados, revoltados, e pode ser que nem planejemos fazer o mal contra aqueles que nos fizeram o mal ou deixaram de nos fazer o bem. Mas há aquela vingança mental, no coração, há aquele sentimento que, muitas vezes, nutrimos de ver a hora de o mal acontecer contra aquela pessoa.

Permita dizer a você: assim como Jesus repreendeu o sentimento daqueles dois discípulos, Tiago e João, Ele quer repreender os sentimentos do nosso coração.

Não permitamos que cresça em nós qualquer sentimento de rancor, ressentimento, vingança contra quem quer que seja. Deus não nos quer vingando nem mesmo aquele que possa ter nos atrapalhado de evangelizar, de fazer isso ou aquilo, porque não há algo mais diabólico do que a capacidade de alguém vingar o mal que recebeu.

Eu sei que muitas situações machucam o coração, há dentro de nós um sentimento de justiça. Justiça é justiça, mas vingança é outra coisa.

Que não alimentemos em nós esse sentimento terrível, porque ele só destrói a nossa alma e nossa existência!

Deus abençoe você!

Fonte: homilia.cancaonova.com

liturgia-diaria_-27-09-2016

26ª Semana Comum – Terça-feira 27/09/2016

Primeira Leitura (Jó 3,1-3.11-17.20-23)

Leitura do Livro de Jó.

1Jó abriu a boca e amaldiçoou o seu dia, 2dizendo: 3“Maldito o dia em que nasci e a noite em que fui concebido. 11Por que não morri desde o ventre materno, ou não expirei ao sair das entranhas? 12Por que me acolheu um regaço e uns seios me amamentaram? 13Estaria agora deitado e poderia descansar, dormiria e teria repouso, 14com os reis e ministros do país, que construíram para si sepulcros grandiosos; 15ou com os nobres, que amontoaram ouro e prata em seus palácios. 16Ou, então, enterrado como aborto, eu agora não existiria, como crianças que nem chegaram a ver a luz.

17Ali acaba o tumulto dos ímpios, ali repousam os que esgotaram as forças. 20Por que foi dado à luz um infeliz e vida àqueles que têm a alma amargurada? 21Eles desejam a morte que não vem e a buscam mais que um tesouro; 22eles se alegrariam por um túmulo e gozariam ao receberem sepultura.

23Por que, então, foi dado à luz o homem a quem seu próprio caminho está oculto, a quem Deus cercou de todos os lados?”

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 87)

— Chegue a minha oração até a vossa presença.

Chegue a minha oração até a vossa presença.

— A vós clamo, Senhor, sem cessar, todo o dia, e de noite se eleva até vós meu gemido. Chegue a minha oração até a vossa presença, inclinai vosso ouvido a meu triste clamor!

— Saturada de males se encontra a minh’alma, minha vida chegou junto às portas da morte. Sou contado entre aqueles que descem à cova, toda gente me vê como um caso perdido!

— O meu leito já tenho no reino dos mortos, como um homem caído que jaz no sepulcro, de quem mesmo o Senhor se esqueceu para sempre e excluiu por completo de sua atenção.

— Ó Senhor, me pusestes na cova mais funda, nos locais tenebrosos da sombra da morte. Sobre mim cai o peso do vosso furor, vossas ondas enormes me cobrem, me afogam.

Evangelho (Lc 9,51-56)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém 52e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, a fim de preparar hospedagem para Jesus. 53Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. 54Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” 55Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. 56E partiram para outro povoado.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 26/09/2016

REFLEXÃO

Na primeira leitura da Liturgia Diária de hoje vimos que Jó foi provado em sua fé. Tudo que acontece na nossa vida acontece com a permissão de Deus (permissão, não vontade). Lembra daquela frase que diz: “Deus não dá peso maior do que podemos suportar”? Pois bem, se você ler o livro de Jó, especialmente até o final, verá o quanto Jó foi abençoado depois. Por ter sido fiel a Deus, por ter se mantido firme na fé, apesar dos pesares. As provações servem para nos fazer amadurecer, para nos fortalecer, não para nos fazer cair. O problema que as pessoas estão mal acostumadas a só querer a parte boa de tudo. Ninguém nasce adulto, mas se torna adulto à medida que amadurece e,  as dificuldades, as lições da vida também envolvem desconfortos e temos que saber viver, sobreviver e amadurecer em todas as fases da vida.

Se sabemos que ninguém nasce sabendo de tudo, temos que ser mais amorosos, misericordiosos e menos críticos, mais puros de coração e é isso que, no Evangelho de hoje Jesus nos fala, que quem for o menor, esse será o maior. O que Jesus quis dizer com isso? No Reino de Deus ninguém é excluído. E sendo assim, nós não temos o direito de excluir ninguém, até porque nós também não queremos ser excluídos, correto? Em algum momento da vida você já foi rejeitado(a)? Como se sentiu? Com certeza nada bem. Então, Jesus nos ensina a acolher, a termos o coração puro, a sermos humildes, a valorizar as pessoas, a colocar-se à disposição para o próximo sempre com gentileza e sinceridade. E acolhendo o próximo é a Jesus que estamos acolhendo.

Jesus nos ensina, ao final, que quem não está contra nós, está conosco e, dessa forma, quem não é contra o Reino de Deus, está colaborando, e portanto, também não é excluído. Peçamos a Deus sabedoria e a graça da humildade para sermos testemunhas autênticas do Seu amor e da sua misericórdia, pois é isso que Ele espera de nós!

Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo!

liturgia-diaria_-26-09-2016

26ª Semana Comum – Segunda-feira 26/09/2016

Primeira Leitura (Jó 1,6-22)

Leitura do Livro de Jó.

6Um dia, foram os filhos de Deus apresentar-se ao Senhor; entre eles também Satanás. 7O Senhor, então, disse a Satanás: “Donde vens?” “Venho de dar umas voltas pela terra”, respondeu ele. 8O Senhor disse-lhe: “Reparaste o meu servo Jó? Na terra não há outro igual: é um homem íntegro e correto, teme a Deus e afasta-se do mal”.

9Satanás respondeu ao Senhor: “Mas será por nada que Jó teme a Deus? 10Porventura não levantaste um muro de proteção ao redor dele, de sua casa e de todos os seus bens? Tu abençoaste tudo o que ele fez, e seus rebanhos cobrem toda a região. 11Mas, estende a mão e toca em todos os seus bens; e eu garanto que ele te lançará maldições no rosto!”

12Então o Senhor disse a Satanás: “Pois bem, de tudo o que ele possui, podes dispor, mas não estendas a mão contra ele”. E Satanás saiu da presença do Senhor. 13Ora, num dia em que os filhos e filhas de Jó comiam e bebiam vinho na casa do irmão mais velho, 14um mensageiro veio dizer a Jó: “Estavam os bois lavrando e as mulas pastando a seu lado, 15quando, de repente, apareceram os sabeus e roubaram tudo, passando os criados ao fio de espada. Só eu consegui escapar para trazer-te a notícia”.

16Estava ainda falando, quando chegou outro e disse: “Caiu do céu o fogo de Deus e matou ovelhas e pastores, reduzindo-os a cinza. Só eu consegui escapar para trazer-te a notícia”. 17Este ainda falava, quando chegou outro e disse: “Os caldeus, divididos em três bandos, lançaram-se sobre os camelos e levaram-nos consigo, depois de passarem os criados ao fio da espada. Só eu consegui escapar para trazer-te a notícia”.

18Este ainda falava, quando chegou outro e disse: “Teus filhos e tuas filhas estavam comendo e bebendo vinho na casa do irmão mais velho, 19quando um furacão se levantou das bandas do deserto e se lançou contra os quatro cantos da casa, que desabou sobre os jovens e os matou. Só eu consegui escapar para trazer-te a notícia”.

20Então, Jó levantou-se, rasgou o manto, rapou a cabeça, caiu por terra e, prostrado, disse: 21“Nu eu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei para lá. O Senhor deu, o Senhor tirou: como foi do agrado do Senhor, assim foi feito. Bendito seja o nome do Senhor!” 22Apesar de tudo isso, Jó não cometeu pecado nem se revoltou contra Deus.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 16)

— Inclinai o vosso ouvido e escutai-me!

Inclinai o vosso ouvido e escutai-me!

— Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, escutai-me e atendei o meu clamor! Inclinai o vosso ouvido à minha prece, pois não existe falsidade nos meus lábios!

— De vossa face é que me venha o julgamento, pois vossos olhos sabem ver o que é justo. Provai meu coração durante a noite, visitai-o, examinai-o pelo fogo, mas em mim não achareis iniquidade.

— Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me! Mostrai-me vosso amor maravilhoso, vós que salvais e libertais do inimigo quem procura a proteção junto de vós.

Evangelho (Lc 9,46-50)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 46houve entre os discípulos uma discussão, para saber qual deles seria o maior. 47Jesus sabia o que estavam pensando, pegou então uma criança, colocou-a junto de si 48e disse-lhes: “Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim. E quem me receber, estará recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior”.

49João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem que expulsa demônios em teu nome. Mas nós lho proibimos, porque não anda conosco”. 50Jesus disse-lhe: “Não o proibais, pois quem não está contra vós, está a vosso favor”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 25/09/2016

REFLEXÃO

“A parábola que o Evangelho nos traz [Lc 16,19-31] não visa tratar sobre a caridade ou a falta dela, não diz que o rico negava esmolas a Lázaro. Talvez, até ignorasse a presença dele junto de sua casa, fechado como estava em seu bem-estar, o qual não lhe permitia perceber problemas alheios. Pode ser até que pensasse, como, às vezes, dizem por aí: “Cada um por si e Deus por todos”.

Jesus quer chamar a atenção não somente para a necessidade de amarmos o próximo, mas para a importância das situações. Uma condição de poder e prazer pode insensibilizar a mente, tornando-a indiferente às necessidades dos outros; pode fechar a porta do céu – tirando a fome da vida eterna – se a pessoa já se julga satisfeita com seus bens.

A riqueza honesta não é má nem condenável, assim como a pobreza não é garantia de salvação. Mas ambas suscitam atitudes éticas que podem facilitar ou dificultar a procura por Deus. É para isto que Jesus quer despertar os cristãos nesta parábola.

A situação cômoda em que se encontram os ricos pode diminuir o zelo pelas necessidades dos pobres e excluídos da nossa sociedade.

Jesus chama os pobres – aqueles que choram, têm fome e sede – de bem-aventurados; não por causa da pobreza como tal, mas pela atitude ética da fé e do amor ao próximo que essa pobreza preserva ou suscita. E chama os ricos de infelizes (Lc 6,24-26), não por causa da riqueza como tal, mas porque esta pode fazer “murchar” a fé e o senso da vida futura.

O rico morreu sem fome física e espiritual, por isso nada mais esperava encontrar na eternidade, satisfeito que estava em seu bem-estar terreno. Já Lázaro, que teve fome física e doenças, tinha esperança de uma realidade melhor do que a vida terrestre. No além, a fome material e espiritual de Lázaro foi saciada, ao passo que, no rico, ela não existia.

Alguém pode ser rico, mas ter um coração de pobre por cultivar o desapego, a humildade e a caridade. Assim como alguém pode ser pobre, mas ter um coração de rico, ou seja, sem caridade nem humildade. Lázaro era pobre na terra. Abraão era rico. Mas ambos tiveram a mesma sorte final, porque, em circunstâncias diferentes, tiveram o mesmo amor a Deus e o mesmo desprendimento dos bens terrenos.

A parábola nos lembra de que o céu e o inferno começam no nosso dia a dia, pois nele não nos faltam fatos, acontecimentos nem coisas diárias que sejam objetos de santificação. A fé descobre, na vida diária, sinais de Deus, pois não vivemos de milagres, mas do dia a dia. É nele que devemos encontrar a vida de santificação. Muitos procuram sinais e milagres, mas dizem que, se o Senhor se fizesse “mais sensível” e lhes desse um sinal, seriam mais fervorosos. Isso é pura ilusão, meu irmão! Quem não tem fé nos dons cotidianos do Senhor encontrará razões falsas para não reconhecer os Seus milagres.

Abraão diz ao homem rico que quem não tem a fé viva rejeitará os sinais mais significativos. Na verdade, Lázaro – irmão de Marta e Maria – e o próprio Jesus haviam de ressuscitar dentre os mortos e aparecer aos judeus, mas nem assim estes se deixaram convencer.

Abraão diz existir um grande abismo entre o céu e o inferno. Ele fala que apenas na vida terrestre podemos nos converter. O tempo da conversão é hoje e agora. A morte nos estabelece uma condição definitiva: o céu para sempre ou o inferno para sempre.

Esta parábola nos leva a concluir que, quando nós deixarmos este mundo, receberemos uma sentença. Veja que Lázaro foi levado ao “seio de Abraão” e o rico aos tormentos do inferno. Isso pressupõe uma sentença de Deus logo após a nossa morte, e essa é definitiva, pois o mau não pode passar para o lugar do justo nem vice-versa. Eu já fiz a minha opção: quero ir para o “seio de Abraão”. E você? Para onde quer ir?

Padre Bantu Mendonça

Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/quem-nao-tem-fe-nos-dons-cotidianos-de-deus-nao-reconhecera-os-seus-milagres/

liturgia-diaria_-25-09-2016

26º Domingo do Tempo Comum – 25/09/2016

Primeira Leitura (Am 6,1a.4-7)

Leitura da Profecia de Amós:

Assim diz o Senhor todo-poderoso: 1aAi dos que vivem despreocupadamente em Sião, os que se sentem seguros nas alturas de Samaria! 4Os que dormem em camas de marfim, deitam-se em almofadas, comendo cordeiros do rebanho e novilhos do seu gado; 5os que cantam ao som das harpas, ou, como Davi, dedilham instrumentos musicais; 6os que bebem vinho em taças, e se perfumam com os mais finos unguentos e não se preocupam com a ruína de José.

7Por isso, eles irão agora para o desterro, na primeira fila, e o bando dos gozadores será desfeito.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 145)

— Bendize, minha alma, e louva ao Senhor!

Bendize, minha alma, e louva ao Senhor!

— O Senhor é fiel para sempre,/ faz justiça aos que são oprimidos;/ ele dá alimento aos famintos,/ é o Senhor quem liberta os cativos.

— O Senhor abre os olhos aos cegos,/ o Senhor faz erguer-se o caído;/ o Senhor ama aquele que é justo./ É o Senhor quem protege o estrangeiro.

— Ele ampara a viúva e o órfão,/ mas confunde o caminho dos maus./ O Senhor reinará para sempre!/ Ó Sião, o teu Deus reinará/ para sempre e por todos os séculos!

Segunda Leitura (1Tm 6,11-16)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo:

11Tu, que és um homem de Deus, foge das coisas perversas, procura a justiça, a piedade, a fé, o amor, a firmeza, a mansidão. 12Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e pela qual fizeste tua nobre profissão de fé diante de muitas testemunhas.

13Diante de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que deu o bom testemunho da verdade perante Pôncio Pilatos, eu te ordeno: 14guarda o teu mandato íntegro e sem mancha até a manifestação gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

15Esta manifestação será feita no tempo oportuno pelo bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, 16o único que possui a imortalidade e que habita numa luz inacessível, que nenhum homem viu, nem pode ver. A ele, honra e poder eterno. Amém.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Anúncio do Evangelho (Lc 16,19-31)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus disse aos fariseus: 19“Havia um homem rico, que se vestia com roupas finas e elegantes e fazia festas esplêndidas todos os dias.

20Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas, estava no chão, à porta do rico. 21Ele queria matar a fome com as sobras que caíam da mesa do rico. E, além disso, vinham os cachorros lamber suas feridas.

22Quando o pobre morreu, os anjos levaram-no para junto de Abraão. Morreu também o rico e foi enterrado.

23Na região dos mortos, no meio dos tormentos, o rico levantou os olhos e viu de longe a Abraão, com Lázaro ao seu lado.

24Então gritou: ‘Pai Abraão, tem piedade de mim! Manda Lázaro molhar a ponta do dedo para me refrescar a língua, porque sofro muito nestas chamas’.

25Mas Abraão respondeu: ‘Filho, lembra-te que tu recebeste teus bens durante a vida e Lázaro, por sua vez, os males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado. 26E, além disso, há um grande abismo entre nós; por mais que alguém desejasse, não poderia passar daqui para junto de vós, e nem os daí poderiam atravessar até nós’.

27O rico insistiu: ‘Pai, eu te suplico, manda Lázaro à casa do meu pai, 28porque eu tenho cinco irmãos. Manda preveni-los, para que não venham também eles para este lugar de tormento’.

29Mas Abraão respondeu: ‘Eles têm Moisés e os Profetas, que os escutem!’

30O rico insistiu: ‘Não, Pai Abraão, mas se um dos mortos for até eles, certamente vão se converter’.

31Mas Abraão lhe disse: ‘Se não escutam a Moisés, nem aos Profetas, eles não acreditarão, mesmo que alguém ressuscite dos mortos’”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 24/09/2016

REFLEXÃO

“Cristo insiste em anunciar a Sua Paixão e Morte. Primeiro veladamente à multidão, e depois com mais clareza aos discípulos no Evangelho de hoje. Estes, porém, não entendem as Suas palavras, não porque não sejam claras, mas pela falta das disposições adequadas, pela falta de fé.

Talvez você também fique chocado: como é possível o Filho do dono da vida morrer? Se isso tiver de acontecer contigo é sinal de que ainda não chegou para ti o entendimento pleno do mistério do sofrimento, o significado da cruz. E então deves escutar o comentário de São João Crisóstomo: “Ninguém se escandalize ao contemplar uns Apóstolos tão imperfeitos, porque ainda não tinha chegado a Cruz nem tinha sido dado o Espírito Santo.”

Os discípulos tinham uma admiração e carinho extraordinários por Jesus. Percebendo isso, Jesus avisou-os: O Filho do Homem será entregue aos homens. Para nós, que sabemos o que Jesus passou da Quinta-feira Santa até a Crucificação, essa frase de Jesus é muito clara, mas o que tem de mais interessante no Evangelho de hoje é fazer o exercício de se colocar no lugar dos discípulos, e tentar entender o que se passava em seus corações e mentes.

O Evangelho de Lucas diz que os discípulos não alcançaram o sentido, e tinham medo de perguntá-lo a respeito. Eles não alcançaram o sentido porque não se passava em suas cabeças que Jesus poderia ser entregue à morte! E tinham medo de perguntá-lo porque sabiam que não iriam gostar do que iriam ouvir.

Os discípulos admitiram a fragilidade de não fazerem perguntas a Jesus sobre esse assunto porque tinham medo. Será que nós também não temos medo de saber sobre algum assunto desagradável?

Se os discípulos tivessem perguntado a Jesus sobre o que Ele estava falando, certamente poderiam ter se preparado melhor para os acontecimentos… Se o exame tivesse sido analisado a tempo, uma vida poderia ter sido salva… Se o assunto delicado tivesse sido conversado com calma, talvez muitos aborrecimentos pudessem ter sido evitados…

É preciso que o Filho do Homem seja entregue nas mãos dos homens para que nós tenhamos a vida e vida em plenitude. E quem no-lo confirma é o próprio Jesus: se o grão de trigo caído na terra não morre, permanece só. Mas se morre dá muito fruto. Permita que te diga meu irmão, a vida autêntica vai ser entregue nas mãos dos homens, para que os homens a possuam. Pois, na lógica humana, só é vivo quem tem a vida e para nós a termos é necessário que alguém a conceda. E então se justifica a entrega da vida de Jesus aos homens. No Evangelho segundo João 10,10 Jesus diz: eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância. Como a teríamos em plenitude se Ele não morresse na cruz?

Senhor, dá-me a graça de entender que a vida autêntica de fé e de missão é entrega e doação plena como vós mesmos fizestes. Que eu seja um dom, uma doação para os meus irmãos e irmãs. O mistério da Cruz, que não é outro senão o mistério Pascal da salvação do mundo em Cristo morto e ressuscitado domina toda a vida de Jesus. Para os discípulos de todos os tempos, ele será sempre uma realidade misteriosa, difícil de ser acreditada. No entanto, é nele que se revela todo o mistério de Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador.

Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/o-filho-do-homem-sera-entregue-lc-943b-45/

liturgia-diaria_-24-09-2016

25ª Semana Comum – Sábado 24/09/2016

Primeira Leitura (Ecl 11,9-12,8)

Leitura do Livro do Eclesiastes.

11,9Alegra-te, jovem, na tua adolescência, e que o teu coração repouse no bem nos dias da tua juventude; segue as aspirações do teu coração e os desejos dos teus olhos: fica sabendo, porém, que de tudo isso Deus te pedirá contas. 10Tira a tristeza do teu coração, e afasta a malícia do teu corpo, pois a adolescência e a juventude são vaidade. 12,1Lembra-te do teu Criador nos dias da juventude, antes que venham os dias da desgraça e cheguem os anos dos quais dirás: “Não sinto prazer neles”; — 2antes que se obscureçam o sol, a luz, a lua e as estrelas, e voltem as nuvens depois da chuva; 3quando os guardas da casa começarem a tremer, e se curvarem os homens robustos; quando as poucas mulheres cessarem de moer, e ficarem turvas as vistas das que olham pelas janelas 4e se fecharem as portas que dão para a rua; quando enfraquecer o ruído do moinho, e os homens se levantarem ao canto dos pássaros, e silenciarem as vozes das canções, 5e houver medo das alturas e sobressaltos no caminho, enquanto a amendoeira floresce, o gafanhoto se arrasta e a alcaparra perde o seu gosto, porque o homem se encaminha para a morada eterna, e os que choram já rondam pelas ruas; — 6antes que se rompa o cordão de prata e se despedace a taça de ouro, a jarra se parta na fonte, a roldana se arrebente no poço, — 7antes que volte o pó à terra, de onde veio, e o sopro de vida volte a Deus que o concedeu. 8Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, tudo é vaidade.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 Responsório (Sl 89)

— Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós.

Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós.

— Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!” Pois mil anos para vós são como ontem, qual vigília de uma noite que passou.

— Eles passam como o sono da manhã, são iguais à erva verde pelos campos: De manhã ela floresce vicejante, mas à tarde é cortada e logo seca.

— Ensinai-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria! Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis? Tende piedade e compaixão de vossos servos!

— Saciai-nos de manhã com vosso amor, e exultaremos de alegria todo o dia! Que a bondade do Senhor e nosso Deus repouse sobre nós e nos conduza! Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho.

 Evangelho (Lc 9,43b-45)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 43btodos estavam admirados com todas as coisas que Jesus fazia. Então Jesus disse a seus discípulos: 44“Prestai bem atenção às palavras que vou dizer: O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens”. 45Mas os discípulos não compreenderam o que Jesus dizia. O sentido lhes ficava escondido, de modo que não podiam entender; e eles tinham medo de fazer perguntas sobre o assunto.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 23/09/2016

REFLEXÃO

“Em uma de suas célebres orações, Santo Agostinho rogava: “Senhor, que te conheça e que me conheça”. Este pedido pode inspirar o início de nossa oração hoje e a cada dia. “Senhor, que te conheça e que me conheça”. Que Você mesmo me introduza no conhecimento interno do Seu amor, diante do qual também me reconheço, e sem o qual tudo se torna palavreado vazio.

Na época de Jesus, muita coisa se dizia dele. Mas lhe interessava saber o que diziam aqueles que caminhavam com Ele, com quem Ele partilhava sua intimidade: “E vocês, quem dizem que eu sou?”

Hoje é a mim que o Senhor dirige esta pergunta: “Quem você diz que eu sou?” Quem sou eu na sua vida hoje? Colocar-nos diante dele com toda a sinceridade e deixar que a Sua luz penetre a nossa vida a partir do profundo e revele esta resposta. E faça avançar no Seu conhecimento.

“Pedro respondeu: ‘O Messias de Deus’.” A partir do que havia experimentado de Jesus ao caminhar com Ele, e inspirado pelo Espírito, responde ser Jesus Aquele que o povo esperava e que ele esperava; Aquele que traria a salvação, a vida plena, a re-união com Deus, com O Amor. Não era, no entanto, o Messias glorioso que se tinha em mente. Era o Servo Sofredor, que amaria até o extremo da entrega da vida para que recebêssemos A Vida esperada e pudéssemos vivê-la seguindo seus passos, porque Ele nos ensinou o caminho para isso.

“Quem você diz que eu sou?” Aquele que você espera que plenifique a sua vida? Aquele que já deu a plenitude e você busca receber e viver a cada dia? Ou você busca a vida em outro lugar, o amor em outro alguém? Para que caminho se dirigem os seus passos?

A profissão de fé traz em si três verbos: confessar, professar e testemunhar. Quem nós confessamos ser o nosso Amor, a Vida da nossa vida, nosso Senhor e nosso Deus, nós professamos diante de qualquer outra busca, de qualquer outro “deus”, de qualquer outra fonte e testemunhamos na nossa vida, nas nossas escolhas. Que o Espírito nos ajude a dizer com a vida e a palavra, como Pedro: “Você é o Messias de Deus” e segui-lo pelo Seu caminho de amor entregado.”

Tania Pulier, comunicadora social – Palavra Acesa Editora – Família Missionária Verbum Dei

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2013/e-voces-quem-dizem-que-eu-sou-lc-9-18-22/

liturgia-diaria_-23-09-2016

25ª Semana Comum – Sexta-feira 23/09/2016

Primeira Leitura (Ecl 3,1-11)

Leitura do Livro do Eclesiastes.

1Tudo tem seu tempo. Há um momento oportuno para tudo o que acontece debaixo do céu. 2Tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de colher a planta. 3Tempo de matar e tempo de salvar; tempo de destruir e tempo de construir. 4Tempo de chorar e tempo de rir; tempo de lamentar e tempo de dançar. 5Tempo de atirar pedras e tempo de as amontoar; tempo de abraçar e tempo de separar. 6Tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de esbanjar. 7Tempo de rasgar e tempo de costurar; tempo de calar e tempo de falar. 8Tempo de amar e tempo de odiar; tempo de guerra e tempo de paz.

9Que proveito tira o trabalhador de seu esforço? 10Observei a tarefa que Deus impôs aos homens, para que nela se ocupassem. 11As coisas que ele fez são todas boas no tempo oportuno. Além disso, ele dispôs que fossem permanentes; no entanto o homem jamais chega a conhecer o princípio e o fim da ação que Deus realiza.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 143)

— Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

— Bendito seja o Senhor, meu rochedo. Ele é meu amor, meu refúgio, libertador, fortaleza e abrigo. É meu escudo: é nele que espero.

— Que é o homem, Senhor, para vós? Por que dele cuidais tanto assim, e no filho do homem pensais? Como o sopro de vento é o homem, os seus dias são sombra que passa.

Evangelho (Lc 9,18-22)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

Aconteceu que Jesus 18estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” 19Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”.

20Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. 21Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém.

22E acrescentou: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 22/09/2016

REFLEXÃO

Sabes o porque Herodes procurava ver Jesus? A razão é simples, as palavras e os milagres de Jesus atraiam em torno dele verdadeiras multidões. Contudo, era impossível controlar a intenção de cada pessoa. Muitos vinham por pura curiosidade. Outros, esperando que Jesus os curasse de alguma enfermidade ou, de qualquer forma, os libertasse. Outros, ainda eram movidos por um desejo sincero de escutar Jesus e tornar-se seus discípulos, escolhendo como projeto de vida a proposta do Reino.

Herodes mandara matar João Batista para ver-se livre da acusação que pesava sobre ele. Porém, ele não sabia que João Batista era apenas o precursor do Messias. O verdadeiro Salvador estava vivo e sendo interrogado, argüido, pelos prodígios que realizava. A palavra e a ação de Jesus, agora, deixam o povo e as autoridades sem saber o que pensar. Por isso, “Herodes procurava ver Jesus.” A pessoa de Jesus ainda hoje continua a ser questionada por aqueles que ainda não tiveram com Ele uma experiência de salvação. Muitos procuram Jesus, porém não têm consciência de que O procuram! “Quem é esse homem?” Jesus é o protótipo do homem vindo do céu, é o modelo que todo filho e filha de Deus precisam seguir para serem reconhecidos pelo Pai. Muitos, ainda hoje, escrevem sobre Jesus sem tê-Lo conhecido e fazem suposição sobre a Sua pessoa. Outros, com suas teorias e falsas doutrinas, levam a muitos a acreditarem em utopias e hipóteses vãs.

Esta variedade de intenções não influenciava a conduta do Mestre. Ele não satisfazia a curiosidade das pessoas, por exemplo, fazendo milagres sob encomenda. Suas curas beneficiavam somente àquelas que, de algum modo, demonstravam ter lê. Os corações sinceros dependiam da vontade ex­pressa de Jesus para se tornarem seus discípulos. Só se punha a segui-lo quem ele chamava pelo nome. Não adiantava oferecer-se.

O violento Herodes, tendo ouvido falar de Jesus, manifestou curiosidade de vê-lo. Este rei não sabia de quem se tratava. As hipóteses levantadas lhe satisfaziam. Daí seu desejo de vê-lo pessoalmente. Quiçá esperasse presenciar o espetáculo de um milagre realizado por Jesus, pois tivera notícia de sua fama. Seu desejo de ver o Mestre só seria realizado por ocasião da paixão. Mas, naquela ocasião, Jesus o decepcionou, por não ceder a seus caprichos.

Para que nós tenhamos convicção sobre quem é Jesus e qual o Seu verdadeiro papel na nossa vida nós precisamos conhecê-Lo através do estudo e reflexão da Palavra, ter intimidade com Ele na oração, na adoração, na Eucaristia. Assim sendo poderemos apresentá-Lo àqueles que ainda não O conhecem para que também, tenham eles, um Encontro com a Salvação.

O que você fala de Jesus você o diz com conhecimento de causa? – Você conhece Jesus porque lê muito sobre Ele ou porque encarna a Sua Palavra como uma comida para a Sua alma?

Pai, diversamente dos inimigos de Jesus, quero conhecer a identidade e a missão de teu Filho, pois é por ele que me guiarei para ser fiel a ti.

Fonte: http://homiliadopebantu.blogspot.com.br/2010/09/duvida-de-herodes-lc-97-9.html

liturgia-diaria_-22-09-2016

25ª Semana Comum – Quinta-feira 22/09/2016

Primeira Leitura (Ecl 1,2-11)

Leitura do Livro do Eclesiastes.

2“Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades! Tudo é vaidade”. 3Que proveito tira o homem de todo o trabalho com o qual se afadiga debaixo do sol? 4Uma geração passa, outra lhe sucede, enquanto a terra permanece sempre a mesma. 5O sol se levanta, o sol se deita, apressando-se para voltar a seu lugar, donde novamente torna a levantar-se. 6Dirigindo-se para o sul e voltando para o norte, ora para cá, ora para lá, vai soprando o vento, para retomar novamente o seu curso. 7Todos os rios correm para o mar, e contudo o mar não transborda; voltam ao lugar de onde saíram para tornarem a correr. 8Tudo é penoso, difícil para o homem explicar. A vista não se cansa de ver, nem o ouvido se farta de ouvir. 9O que foi será; o que aconteceu, acontecerá: 10não há nada de novo debaixo do sol. Uma coisa da qual se diz: “Eis aqui algo de novo”, também esta já existiu nos séculos que nos precederam. 11Não há memória do que aconteceu no passado, nem também haverá lembrança do que acontecer, entre aqueles que viverão depois.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 89)

— Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós.

Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós.

— Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!” Pois mil anos para vós são como ontem, qual vigília de uma noite que passou.

— Eles passam como o sono da manhã, são iguais à erva verde pelos campos: De manhã ela floresce vicejante, mas à tarde é cortada e logo seca.

— Ensinai-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria! Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis? Tende piedade e compaixão de vossos servos!

— Saciai-nos de manhã com vosso amor, e exultaremos de alegria todo o dia! Que a bondade do Senhor e nosso Deus repouse sobre nós e nos conduza! Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho.

Evangelho (Lc 9,7-9)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 7o tetrarca Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo, e ficou perplexo, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. 8Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. 9Então Herodes disse: “Eu mandei degolar João. Quem é esse homem, sobre quem ouço falar essas coisas?” E procurava ver Jesus.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

LITURGIA DIÁRIA – 21/09/2016

REFLEXÃO

No Evangelho de hoje vimos Jesus chamar Mateus para ser seu discípulo. Segue-me! Ordem carregada de amor que dizia nas entrelinhas: imita-me! Ao seguir Jesus aprendemos que a verdadeira riqueza é a liberdade e a paz, e que o apego e a ganância nos pesam. Seguir a Jesus não é fácil por ser nadar contra a maré do mundo, mas quem experimenta sabe a imensa paz e felicidade que preenche nossa vida!
Todos nós, sem exceção, precisamos de Deus. E Jesus nos ensina ainda que Ele veio para aqueles que mais precisam. Deus nos ama principalmente quando não merecemos. Ele conhece a nossa história, só Ele sabe tudo a nosso respeito. Não sabemos o que Mateus passava em sua vida naquele momento, provavelmente Ele queria sair daquela vida mas não sabia como, e Jesus o alcançou no momento certo! Talvez por isso Mateus prontamente acolhe e é acolhido!
Deus não nos pede sacrifícios, não nos exige nada, mas tudo na vida tem um preço, toda escolha uma renúncia, e se quisermos a verdadeira paz e liberdade, da verdadeira vida que Jesus tem para nos dar, devemos nos desapegar de tudo que nos pesa, e como Jesus nos ensina: ter mais misericórdia e não sacrifício!
Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo!

liturgia-diaria_-21-09-2016

25ª Semana Comum – Quarta-feira 21/09/2016

Primeira Leitura (Ef 4,1-7.11-13)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 1eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes: 2com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor. 3Aplicai-vos a guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz.

4Há um só Corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados. 5Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos. 7Cada um de nós recebeu a graça na medida em que Cristo lha deu. 11E foi ele quem instituiu alguns como apóstolos, outros como profetas, outros ainda como evangelistas, outros, enfim, como pastores e mestres.

12Assim, ele capacitou os santos para o ministério, para edificar o corpo de Cristo, 13até que cheguemos todos juntos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito e à estatura de Cristo em sua plenitude.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 Responsório (Sl 18)

— Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!

Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!

— Os céus proclamam a glória do Senhor, e o firmamento, a obra de suas mãos; o dia ao dia transmite esta mensagem, a noite à noite publica esta notícia!

— Não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; seu som ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do universo a sua voz!

 Evangelho (Mt 9,9-13)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 9Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu a Jesus.

10Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?”

12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

Tema Por Premium Wordpress