ÚLTIMAS NOTÍCIAS - ANO JUBILAR 150

Arquivos Mensais: fevereiro 2016

REFLEXÃO DIÁRIA – 29/02/2016

 Liturgia-29-02-2016a

“Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria.” (Lucas 4,24)

Irmãos,

Jesus veio trazer a verdade, aliás, Ele é a Verdade. Mas nem sempre a verdade é bem acolhida. Os profetas normalmente são rejeitados porque levam as pessoas a um confronto consigo mesmo, levando-as a uma reflexão que nem sempre elas estão dispostas a fazer. Escutar o que se quer ouvir é fácil, escutar o que se precisa ouvir, nem sempre.

Deus é Pai e como pai procura nos educar e sabemos que isso não é fácil, nem para quem educa nem para quem é educado. Porém, é necessário. Temos papéis e missão a exercer a começar em nossa casa. Temos direitos e deveres, mas com relação a Deus nos sentimos no direito de achar que Ele deve sempre estar à nossa disposição, corrigindo as irresponsabilidades humanas. Temos que nos conscientizar que devemos fazer nossa parte e sim escutar os profetas, seja por meio da Palavra, seja por cristãos que para nosso bem nos alertam quando não estamos agindo retamente. Assim com os profetas não devemos agir para agradar os homens, mas sim para ser obediente a Deus.

3ª Semana da Quaresma – Segunda-feira 29/02/2016

Primeira Leitura (2Rs 5,1-15a)

Leitura do Segundo Livro dos Reis.

Naqueles dias, 1Naamã, general do exército do rei da Síria, era um homem muito estimado e considerado pelo seu senhor, pois foi por meio dele que o Senhor concedeu a vitória aos arameus. Mas esse homem, valente guerreiro, era leproso.

2Ora, um bando de arameus que tinha saído da Síria, tinha levado cativa uma moça do país de Israel. Ela ficou a serviço da mulher de Naamã. 3Disse ela à sua senhora: “Ah, se meu senhor se apresentasse ao profeta que reside em Samaria, sem dúvida, ele o livraria da lepra de que padece!”

4Naamã foi então informar o seu senhor: “Uma moça do país de Israel disse isto e isto”. 5Disse-lhe o rei Aram: “Vai, que eu enviarei uma carta ao rei de Israel”. Naamã partiu, levando consigo dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez mudas de roupa. 6E entregou ao rei de Israel a carta, que dizia: “Quando receberes esta carta, saberás que eu te enviei Naamã, meu servo, para que o cures de sua lepra”.

7O rei de Israel, tendo lido a carta, rasgou suas vestes e disse: “Sou Deus, porventura, que possa dar a morte e a vida, para que este me mande um homem para curá-lo de lepra? Vê-se bem que ele busca pretexto contra mim”. 8Quando Eliseu, o homem de Deus, soube que o rei de Israel havia rasgado as vestes, mandou dizer-lhe: “Por que rasgaste tuas vestes? Que ele venha a mim, para que saibas que há um profeta em Israel”.

9Então Naamã chegou com seus cavalos e carros, e parou à porta da casa de Eliseu. 10Eliseu mandou um mensageiro para lhe dizer: “Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e tua carne será curada e ficarás limpo”.

11Naamã, irritado, foi-se embora, dizendo: “Eu pensava que ele sairia para me receber e que, de pé, invocaria o nome do Senhor, seu Deus, e que tocaria com sua mão o lugar da lepra e me curaria. 12Será que os rios de Damasco, o Abana e o Fartar, não são melhores do que todas as águas de Israel, para eu me banhar nelas e ficar limpo?” Deu meia-volta e partiu indignado.

13Mas seus servos aproximaram-se dele e disseram-lhe: “Senhor, se o profeta te mandasse fazer uma coisa difícil, não a terias feito? Quanto mais agora que ele te disse: ‘Lava-te e ficarás limpo”’. 14Então ele desceu e mergulhou sete vezes no Jordão, conforme o homem de Deus tinha mandado, e sua carne tornou-se semelhante à de uma criancinha, e ele ficou purificado.

15aEm seguida, voltou com toda a sua comitiva para junto do homem de Deus. Ao chegar, apresentou-se diante dele e disse: “Agora estou convencido de que não há outro Deus em toda terra, senão o que há em Israel!”

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 41)

— Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: e quando verei a face de Deus?

Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: e quando verei a face de Deus?

— Assim como a corça suspira pelas águas correntes, suspira igualmente minh’alma por vós, ó meu Deus!

— A minh’alma tem sede de Deus, e deseja o Deus vivo. Quando terei a alegria de ver a face de Deus?

— Enviai vossa luz, vossa verdade: elas serão o meu guia; que me levem ao vosso Monte santo, até vossa morada!

Evangelho (Lc 4,24-30)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor!

Jesus, vindo a Nazaré, disse ao povo na sinagoga: 24“Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. 25De fato, eu vos digo: no tempo do profeta Elias, quando não choveu durante três anos e seis meses e houve grande fome em toda a região, havia muitas viúvas em Israel. 26No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a uma viúva em Sarepta, na Sidônia. 27E no tempo do profeta Eliseu, havia muitos leprosos em Israel. Contudo, nenhum deles foi curado, mas sim Naamã, o sírio”.

28Quando ouviram estas palavras de Jesus, todos na sinagoga ficaram furiosos. 29Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaram-no até o alto do monte sobre o qual a cidade estava construída, com a intenção de lançá-lo no precipício. 30Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

PADRE FRANCISCO ANTÔNIO APRESENTA A PASCOM

Na missa dominical das 17h, celebrada pelo nosso pároco padre Francisco Antônio, a comunidade católica recebeu com entusiasmo a equipe da Pastoral da Comunicação que terá a responsabilidade de divulgar através de um portal, Facebook e Instagram as notícias diárias de nossa paróquia.

NATAL DE 2015

RECORDEM OS MELHORES MOMENTOS DA MISSA DE NATAL 2015

ÍCONE DE N.S. DO PERPÉTUO SOCORRO

ÁLBUM DE FOTOGRAFIAS COM OS PRINCIPAIS MOMENTOS DA PASSAGEM DO ÍCONE DE NOSSA SENHORA EM NOSSA PARÓQUIA EM FEVEREIRO DE 2016.

FOTÓGRAFO: MARREIRO

 

REFLEXÃO DIÁRIA – 28/02/2016

o-dono-da-vinha-e-a-figueira-the-vine-dresser-and-fig-tree

“Ele, porém, respondeu: ‘Senhor, deixa a figueira ainda este ano. Vou cavar em volta dela e colocar adubo. Pode ser que venha a dar fruto. Se não der, então tu a cortarás” (Lucas 13,8-9)

Irmãos,

Se bem observarmos a figueira citada na parábola do Evangelho de hoje estava numa vinha. Vinha é uma plantação de uvas, portanto, não é o lugar natural de uma figueira. Ainda assim indicava que ela estava sendo bem cuidada e tinha tudo para dar frutos no tempo determinado. Assim muitas vezes somos nós cristãos. Vivemos no mundo, mas não somos do mundo e mesmo com todos os cuidados de Deus não damos os frutos esperados pelo proprietário (Deus). Não por falta de cuidados! Somos alimentados por Deus com Sua palavra e a Sagrada Eucaristia, muitos de nós somos abençoados com um teto para morar, emprego, saúde, paz, (bênçãos e Providência Divina) etc., e ainda assim passamos anos infrutíferos, até mesmo com uma certa indiferença de Seu zelo e amor por nós.

Além disso, podemos observar que as leituras de hoje ao mesmo tempo que nos clamam ao arrependimento, nos conscientizando sobre a nossa omissão, também nos dão a esperança que a partir de nosso sim há uma promessa de vida, “e vida em abundância”. Como vimos na primeira leitura, Deus ao se manifestar a Moisés confirma que Ele escuta o clamor do Seu povo e faz-lhes uma promessa de fartura e de liberdade. Portanto, se está difícil, inclusive dar frutos, clame a Deus! Deus na Sua infinita misericórdia nos deu o Espírito Santo (como prometeu Jesus) para que Ele trabalhe em nós e assim possamos dar frutos. Não importa se não estamos no lugar “certo”. Se Deus nos deu a vida nos colocando neste mundo, Ele anseia por nossos frutos. Não desanime! Você não está sozinho(a)!

 

3º Domingo da Quaresma – 28/02/2016

Primeira Leitura (Êx 3,1-8a.13-15)

Leitura do Livro do Êxodo:

Naqueles dias, 1Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Levou, um dia, o rebanho deserto adentro e chegou ao monte de Deus, o Horeb.

2Apareceu-lhe o anjo do Senhor numa chama de fogo, do meio de uma sarça. Moisés notou que a sarça estava em chamas, mas não se consumia, e disse consigo: 3“Vou aproximar-me desta visão extraordinária, para ver por que a sarça não se consome”.

4O Senhor viu que Moisés se aproximava para observar e chamou-o do meio da sarça, dizendo: “Moisés! Moisés!” Ele respondeu: “Aqui estou”.

5E Deus disse: “Não te aproximes! Tira as sandálias dos pés, porque o lugar onde estás é uma terra santa”.

6E acrescentou: “Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”. Moisés cobriu o rosto, pois temia olhar para Deus.

7E o Senhor lhe disse: “Eu vi a aflição do meu povo que está no Egito e ouvi o seu clamor por causa da dureza de seus opressores. Sim, conheço os seus sofrimentos. 8aDesci para libertá-los das mãos dos egípcios, e fazê-los sair daquele país para uma terra boa e espaçosa, uma terra onde corre leite e mel”.

13Moisés disse a Deus: “Sim, eu irei aos filhos de Israel e lhes direi: ‘O Deus de vossos pais enviou-me a vós’. Mas, se eles perguntarem: ‘Qual é o seu nome?’, o que lhes devo responder?”

14Deus disse a Moisés: “Eu Sou aquele que sou”. E acrescentou: “Assim responderás aos filhos de Israel: ‘Eu Sou’ enviou-me a vós’”.15E Deus disse ainda a Moisés: “Assim dirás aos filhos de Israel: ‘O Senhor, o Deus de vossos Pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó enviou-me a vós’. Este é o meu nome para sempre, e assim serei lembrado de geração em geração”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 102)

— O Senhor é bondoso e compassivo.

O Senhor é bondoso e compassivo.

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ e todo o meu ser, seu santo nome!/ Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ não te esqueças de nenhum de seus favores!

— O Senhor é bondoso e compassivo.

— Pois ele te perdoa toda culpa,/ e cura toda a tua enfermidade;/ da sepultura ele salva a tua vida/ e te cerca de carinho e compaixão.

— O Senhor é indulgente, é favorável,/ é paciente, é bondoso e compassivo./ Quanto os céus por sobre a terra se elevam,/ tanto é grande o seu amor aos que o temem.

 

Segunda Leitura (1Cor 10,1-6.10-12)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

1Irmãos, não quero que ignoreis o seguinte: Os nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem e todos passaram pelo mar; 2todos foram batizados em Moisés, sob a nuvem e pelo mar; 3e todos comeram do mesmo alimento espiritual, 4e todos beberam da mesma bebida espiritual; de fato, bebiam de um rochedo espiritual que os acompanhava — e esse rochedo era Cristo —.

5No entanto, a maior parte deles desagradou a Deus, pois morreram e ficaram no deserto.

6Esses fatos aconteceram para serem exemplos para nós, a fim de que não desejemos coisas más, como fizeram aqueles no deserto. 10Não murmureis, como alguns deles murmuraram, e, por isso, foram mortos pelo anjo exterminador. 12Portanto, quem julga estar de pé tome cuidado para não cair.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Anúncio do Evangelho (Lc 13,1-9)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor.

1Naquele tempo, vieram algumas pessoas trazendo notícias a Jesus a respeito dos galileus que Pilatos tinha matado, misturando seu sangue com o dos sacrifícios que ofereciam.

2Jesus lhes respondeu: “Vós pensais que esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem sofrido tal coisa? 3Eu vos digo que não. Mas se vós não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo.

4E aqueles dezoito que morreram, quando a torre de Siloé caiu sobre eles? Pensais que eram mais culpados do que todos os outros moradores de Jerusalém? 5Eu vos digo que não. Mas, se não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo”.

6E Jesus contou esta parábola: “Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi até ela procurar figos e não encontrou. 7Então disse ao vinhateiro: ‘Já faz três anos que venho procurando figos nesta figueira e nada encontro. Corta-a! Por que está ela inutilizando a terra?’

8Ele, porém, respondeu: ‘Senhor, deixa a figueira ainda este ano. Vou cavar em volta dela e colocar adubo. 9Pode ser que venha a dar fruto. Se não der, então tu a cortarás’”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

REFLEXÃO DIÁRIA – 27/02/2016

Liturgia-02-27

“Qual Deus existe, como tu, que apagas a iniquidade e esqueces o pecado daqueles que são resto de tua propriedade? Ele não guarda rancor para sempre, o que ama é a misericórdia.” (Miqueias 7,18)

Irmãos,

Deus não obriga ninguém a nada, não nos impõe nada, nos deixa livres. E assim como o pai ilustrado no evangelho de hoje, Ele respeita a decisão de seus filhos de querer tomar seu rumo, mas se alegra quando este mesmo filho se dá conta da má escolha que fez e busca Sua presença.

Para o mundo provavelmente somos mais um na multidão, mas para Deus não. Como pai ele usa de sua pedagogia (divina) para nos educar, mas respeita nossas decisões e o que fazemos, e sempre que voltamos (embora o ideal é que nunca nos afastemos Dele) Ele nos acolhe e nos ajuda a encontrar nossa identidade de filho. Filho de Deus. Cidadão do céu. Triste é que muitas vezes voltamos pelas motivações erradas.

Não importa o quão longe fomos, Deus nos aguarda. Ele anseia para que nos conscientizemos e que, arrependidos, voltemos ao Seu convívio, à Sua presença. Ele está sempre pronto a nos acolher, nós que nos distanciamos Dele. Não permita que o mundo te roube a felicidade de ser filho de Deus!

2ª Semana da Quaresma – Sábado 27/02/2016

Primeira Leitura (Mq 7,14-15.18-20)

Leitura da Profecia de Miqueias.

14Apascenta o teu povo com o cajado da autoridade, o rebanho de tua propriedade, os habitantes dispersos pela mata e pelos campos cultivados; que eles desfrutem a terra de Basã e de Galaad, como nos velhos tempos.15E, como foi nos dias em que nos fizeste sair do Egito, faze-nos ver novos prodígios. 18Qual Deus existe, como tu, que apagas a iniquidade e esqueces o pecado daqueles que são resto de tua propriedade? Ele não guarda rancor para sempre, o que ama é a misericórdia. 19Voltará a compadecer-se de nós, esquecerá nossas iniquidades e lançará ao fundo do mar todos os nossos pecados. 20Tu manterás fidelidade a Jacó e terás compaixão de Abraão, como juraste a nossos pais, desde tempos remotos.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Responsório (Sl 102,1-12)

— O Senhor é indulgente e favorável.

O Senhor é indulgente e favorável.

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores!

— Pois ele te perdoa toda culpa, e cura toda sua enfermidade; da sepultura ele salva a tua vida e te cerca de carinho e compaixão;

— Não fica sempre repetindo as suas queixas, nem guarda eternamente o seu rancor. Não nos trata como exigem nossas faltas, nem nos pune em proporção às nossas culpas.

— Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem; quanto dista o nascente do poente, tanto afasta para longe nossos crimes.

Evangelho (Lc 15,1-3.11-32)

— O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1os publicanos e pecadores aproximaram-se de Jesus para o escutar. 2Os fariseus, porém, e os mestres da Lei criticavam Jesus: “Este homem acolhe os pecadores e faz refeição com eles”.

3Então Jesus contou-lhes esta parábola: 11“Um homem tinha dois filhos. 12O filho mais novo disse ao pai: ‘Pai, dá-me a parte da herança que me cabe’. E o pai dividiu os bens entre eles. 13Poucos dias depois, o filho mais novo juntou o que era seu e partiu para um lugar distante. E ali esbanjou tudo numa vida desenfreada.

14Quando tinha gasto tudo o que possuía, houve uma grande fome naquela região, e ele começou a passar necessidade. 15Então foi pedir trabalho a um homem do lugar, que o mandou para seu campo cuidar dos porcos. 16O rapaz queira matar a fome com a comida que os porcos comiam, mas nem isto lhe davam.

17Então caiu em si e disse: ‘Quantos empregados do meu pai têm pão com fartura, e eu aqui, morrendo de fome’. 18Vou-me embora, vou voltar para meu pai e dizer-lhe: ‘Pai, pequei contra Deus e contra ti; 19já não mereço ser chamado teu filho. Trata-me como a um dos teus empregados’.

20Então ele partiu e voltou para seu pai. Quando ainda estava longe, seu pai o avistou e sentiu compaixão. Correu-lhe ao encontro, abraçou-o e cobriu-o de beijos. 21O filho, então, lhe disse: ‘Pai, pequei contra Deus e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho’.

22Mas o pai disse aos empregados: ‘Trazei depressa a melhor túnica para vestir meu filho. E colocai um anel no seu dedo e sandálias nos pés. 23Trazei um novilho gordo e matai-o. Vamos fazer um banquete. 24Porque este meu filho estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi encontrado’. E começaram a festa.

25O filho mais velho estava no campo. Ao voltar, já perto de casa, ouviu música e barulho de dança. 26Então chamou um dos criados e perguntou o que estava acontecendo. 27O criado respondeu: ‘É teu irmão que voltou. Teu pai matou o novilho gordo, porque o recuperou com saúde’.

28Mas ele ficou com raiva e não queria entrar. O pai, saindo, insistia com ele. 29Ele, porém, respondeu ao pai: ‘Eu trabalho para ti há tantos anos, jamais desobedeci a qualquer ordem tua. E tu nunca me deste um cabrito para eu festejar com meus amigos. 30Quando chegou esse teu filho, que esbanjou teus bens com prostitutas, matas para ele o novilho cevado’.

31Então o pai lhe disse: ‘Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. 32Mas era preciso festejar e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado”’.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

REFLEXÃO DIÁRIA – 26/02/2016

Liturgia-02-26“Finalmente, o proprietário, enviou-lhes o seu filho, pensando: ‘Ao meu filho eles vão respeitar.” (Mateus 21, 37)

Irmãos,

José, na primeira leitura e Jesus, foram vendidos por míseros trocados. Ambos não tinham erros, e foram odiados por isso. Ambos tornaram-se salvadores. Jesus em imensurável dimensão. Aliás, o que é mais admirável em Jesus é a sua humildade e a sua obediência. Jesus apesar da Sua condição divina, em nenhum momento se utilizou disso. José e Jesus mantiveram-se firmes, mansos, pacientes. Quantos de nós teríamos esbravejado, questionado a Deus por ser vítima de tamanha(s) injustiça(s)!

Mesmo que pareça incompreensível, Deus anseia por nossa libertação, pela nossa cura e pela nossa felicidade, por isso mandou Seu Filho. Ele conhece o valor de cada um de nós, por isso ele não desiste de mim e de você. Se você tivesse um bem precioso, que talvez só você soubesse o valor dele, você o jogaria fora? Assim é conosco. Deus não desiste de mim e de você, porque Ele sabe o valor que temos.

A atitude do proprietário da vinha no Evangelho de hoje, assim como Deus Pai, ao mandar seu filho se configura como um voto de confiança para a humanidade. O proprietário da vinha esperava frutos que certamente não vinham; Deus esperava frutos de Israel. Deus também espera nossos frutos. Em geral, a humanidade vem mostrando que não está disposta a dar bons frutos, mas não devemos ser coniventes com este pensamento.

Irmãos, há muito tempo o povo tem rejeitado os profetas e até mesmo o próprio Deus. Sejamos sábios, não rejeitemos os cuidados de Deus, não rejeitemos Àquele que tanto nos ama e nos provou enviando Seu único filho. Ele continua acreditando em nós, então o que nos impede de retribuir esse amor? Reconhecemos uma árvore pelos frutos que ela dá, correto? Então que possamos retribuir esse amor dando frutos, bons frutos, de amor e de paz.

2ª Semana da Quaresma – 26/02/2016

Primeira Leitura (Gn 37,3-4.12-13a.17b-28)

Leitura do Livro do Gênesis.

3Israel amava mais a José do que a todos os outros filhos, porque lhe tinha nascido na velhice. E por isso mandou fazer uma túnica de mangas longas. 4Vendo os irmãos que o pai o amava mais do que a todos eles, odiavam-no e já não lhe podiam falar pacificamente.

12Ora, como os irmãos de José tinham ido apascentar o rebanho do pai em Siquém, 13adisse Israel a José: “Teus irmãos devem estar com os rebanhos em Siquém. Vem, vou enviar-te a eles”.

17bPartiu, pois, José atrás de seus irmãos e encontrou-os em Dotaim. 18Eles, porém, tendo-o visto ao longe, antes que se aproximasse, tramaram a sua morte. 19Disseram entre si: “Aí vem o sonhador! 20Vamos matá-lo e lançá-lo numa cisterna, depois diremos que um animal feroz o devorou. Assim veremos de que lhe servem os sonhos”.

21Rúben, porém, ouvindo isto, disse-lhes: 22“Não lhe tiremos a vida”! E acrescentou: “Não derrameis sangue, mas lançai-o naquela cisterna do deserto, não o toqueis com as vossas mãos”. Dizia isto, porque queria livrá-lo das mãos deles e devolvê-lo ao pai. 23Assim que José chegou perto dos irmãos, estes despojaram-no da túnica de mangas longas, pegaram nele 24e lançaram-no numa cisterna que não tinha água. 25Depois, sentaram-se para comer. Levantando os olhos, avistaram uma caravana de ismaelitas. Os camelos iam carregados de especiarias, bálsamo e resina, que transportavam para o Egito.

26E Judá disse aos irmãos: “Que proveito teríamos em matar nosso irmão e ocultar o seu sangue? 27É melhor vendê-lo a esses ismaelitas e não manchar nossas mãos, pois ele é nosso irmão e nossa carne”. Concordaram os irmãos com o que dizia.

28Ao passarem os comerciantes madianitas, tiraram José da cisterna, e por vinte moedas de prata o venderam aos ismaelitas: e estes o levaram para o Egito.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Responsório (Sl 104,6-21)

— Lembrai sempre as maravilhas do Senhor!

— Lembrai sempre as maravilhas do Senhor!

— Mandou vir, então, a fome sobre a terra e os privou de todo pão que os sustentava; um homem enviara à sua frente, José que foi vendido como escravo.

— Apertaram os seus pés entre grilhões e amarraram seu pescoço com correntes, até que se cumprisse o que previra, e a palavra do Senhor lhe deu razão.

— Ordenou, então, o rei que o libertassem, o soberano das nações mandou soltá-lo; fez dele o senhor de sua casa, e de todos os seus bens o despenseiro.

Evangelho (Mt 21,33-43.45-46)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, dirigindo-se Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo, disse-lhes: 33“Escutai esta outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, pôs uma cerca em volta, fez nela um lagar para esmagar as uvas e construiu uma torre de guarda. Depois arrendou-a a vinhateiros, e viajou para o estrangeiro. 34Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos vinhateiros para receber seus frutos.

35Os vinhateiros, porém, agarraram os empregados, espancaram a um, mataram a outro, e ao terceiro apedrejaram. 36O proprietário mandou de novo outros empregados, em maior número do que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma. 37Finalmente, o proprietário, enviou-lhes o seu filho, pensando: ‘Ao meu filho eles vão respeitar’.

38Os vinhateiros, porém, ao verem o filho, disseram entre si: ‘Este é o herdeiro. Vinde, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança!’ 39Então agarraram o filho, jogaram-no para fora da vinha e o mataram. 40Pois bem, quando o dono da vinha voltar, que fará com esses vinhateiros?”

41Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “Com certeza mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros vinhateiros, que lhe entregarão os frutos no tempo certo”.

42Então Jesus lhes disse: “Vós nunca lestes nas Escrituras: ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isto foi feito pelo Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos?” 43Por isso eu vos digo: o Reino de Deus vos será tirado e será entregue a um povo que produzirá frutos.

45Os sumos sacerdotes e fariseus ouviram as parábolas de Jesus, e compreenderam que estava falando deles. 46Procuraram prendê-lo, mas ficaram com medo das multidões, pois elas consideravam Jesus um profeta.
— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

REFLEXÃO DIÁRIA – 25/02/2016

25022016 pedras_angulares_homem_rico_lazaro_584px

“Mas Abraão respondeu: ‘Filho, lembra-te que tu recebeste teus bens durante a vida e Lázaro, por sua vez, os males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado.” (Lc 16, 25)

Irmãos,

A parábola descrita no Evangelho de hoje não é uma crítica à riqueza, mas nos faz refletir sobre a perspectiva de dois personagens: um rico que não confiava em Deus e Lázaro, um pobre que em Deus depositava sua confiança.

É necessário que compreendamos que o problema não é a riqueza, mas sim o orgulho. O homem rico da parábola evidencia que, assim como ele, muitos de nós quando temos um certo conforto material ou psicológico, somos levados a agir de forma egoísta. Devemos nos conscientizar que o nosso destino é determinado por nossas decisões e atitudes, pelo que fazemos hoje e no decorrer de nossa existência, e que será consumada na eternidade. Se bem repararmos, os santos fizeram a diferença neste mundo porque tinham os olhos na eternidade e confiavam em Deus, (assim como o pobre Lázaro) e não em si mesmos ou em suas riquezas. Aliás, tanto Jeremias na primeira leitura, quanto Jesus no Evangelho nos faz refletir sobre como estamos investindo nosso tempo e nossos bens. Estamos investindo em algo passageiro/efêmero ou no que é eterno?

Quem tem fé e confia verdadeiramente em Deus, mesmo nas adversidades, na pobreza ou na doença, conserva a paz e a serenidade porque sabe em Quem confia.

2ª Semana da Quaresma – Quinta-feira 25/02/2016

 

Primeira Leitura (Jr 17,5-10)

Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

5Isto diz o Senhor: “Maldito o homem que confia no homem e faz consistir sua força na carne humana, enquanto o seu coração se afasta do Senhor; 6como os cardos no deserto, ele não vê chegar a floração, prefere vegetar-se na secura do ermo, em região salobra e desabitada.

7Bendito o homem que confia no Senhor, cuja esperança é o Senhor; 8é como a árvore plantada junto às águas, que estende as raízes em busca da umidade, e por isso não teme a chegada do calor: sua folhagem mantém-se verde, não sofre míngua em tempo de seca e nunca deixa de dar frutos.

9Em tudo é enganador o coração, e isto é incurável; quem poderá conhecê-lo? 10Eu sou o Senhor, que perscruto o coração e provo os sentimentos, que dou a cada qual conforme o seu proceder e conforme o fruto de suas obras”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Responsório (Sl 1,1-2.3.4.6 (R. Sl 39,5a))
— É feliz quem a Deus se confia!

— É feliz quem a Deus se confia!

— Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar.

— Eis que ele é semelhante a uma árvore, que à beira da torrente está plantada; ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. Eis que tudo o que ele faz vai prosperar.

— Mas bem outra é a sorte dos perversos. Ao contrário, são iguais à palha seca espalhada  dispersada pelo vento. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte.

Evangelho (Lc 16,19-31)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, Jesus disse aos fariseus: 19’Havia um homem rico, que se vestia com roupas finas e elegantes e fazia festas esplêndidas todos os dias. 20Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas, estava no chão à porta do rico. 21Ele queria matar a fome com as sobras que caíam da mesa do rico. E, além disso, vinham os cachorros lamber suas feridas. 22Quando o pobre morreu, os anjos levaram-no para junto de Abraão. Morreu também o rico e foi enterrado. 23Na região dos mortos, no meio dos tormentos, o rico levantou os olhos e viu de longe a Abraão, com Lázaro ao seu lado. 24Então gritou: ‘Pai Abraão, tem piedade de mim! Manda Lázaro molhar a ponta do dedo para me refrescar a língua, porque sofro muito nestas chamas’. 25Mas Abraão respondeu: ‘Filho, lembra-te que tu recebeste teus bens durante a vida e Lázaro, por sua vez, os males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado. 26E, além disso, há um grande abismo entre nós: por mais que alguém desejasse, não poderia passar daqui para junto de vós, e nem os daí poderiam atravessar até nós’. 27O rico insistiu: ‘Pai, eu te suplico, manda Lázaro à casa do meu pai,28porque eu tenho cinco irmãos. Manda preveni-los, para que não venham também eles para este lugar de tormento’. 29Mas Abraão respondeu: ‘Eles têm Moisés e os Profetas, que os escutem!’30O rico insistiu: ‘Não, Pai Abraão, mas se um dos mortos for até eles, certamente vão se converter’. 31Mas Abraão lhe disse: ‘Se não escutam a Moisés, nem aos Profetas,  eles não acreditarão, mesmo que alguém ressuscite dos mortos’.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LOJINHA DA PARÓQUIA

A nossa paróquia conta com uma lojinha de venda de artigos religiosos. São icones, terços, adesivos, imagens entre outros produtos . A lojinha está aberta todas as quartas-feiras nos horários das novenas e é administrada pela Senhora Luciene.

O destaque dessa semana é a venda do DVD da missa da acolhida do Ícone de Nossa Senhora que ocorreu no dia 03 de fevereiro de 2016 com a presença do Pe Robson de Oliveira do Santuário do Pai Eterno.  O DVD custa apenas R$ 20,00 e o dinheiro será usado nas despesas da missa.

REFLEXÃO DIÁRIA – 24/02/2016

Mateus-20-26

Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”. (Mateus 20, 28)

Irmãos,

Vivemos em um mundo tomado pela vaidade e pelo orgulho, de ser, de ter, e quantas vezes somos seduzidos a nos deixar levar pela mentalidade do mundo! Tem sido desafiador servir sem esperar o reconhecimento. É uma luta interior agir desinteressadamente. Seja como mãe, pai, esposo, funcionário, muitas vezes agimos esperando ser reconhecidos. Aliás, se muitas vezes nos decepcionamos é porque criamos expectativas em relação ao que esperamos do outro. Tudo por conta da vaidade e do orgulho. Jesus nos ensina que servir é muito mais nobre. Nobreza real. Nobreza de filho de Deus, que não precisa que ninguém proclame sua realeza, seu senhorio, para agir com nobreza.

Jesus serviu para nos dá esse belo exemplo. Ele se fez pequeno, humano, servidor, para nos ensinar que o amor e o serviço deve ser desprovido de vaidade, para então sermos livres para sermos quem Deus quer que nos sejamos. Ele não quer que dependamos do reconhecimento de ninguém para que valorizemos (e amemos) a nós mesmos e ao nosso próximo. Deus nos ama e quer que aprendamos a amar, e amar também é se por a serviço, desinteressadamente.

2ª Semana da Quaresma – Quarta-feira 24/02/2016

Primeira Leitura (Jr 18,18-20)

Leitura do Livro do Profeta Jeremias.
Naqueles dias, 18disseram eles: “Vinde para conspirarmos juntos contra Jeremias; um sacerdote não deixará morrer a lei; nem um sábio, o conselho; nem um profeta, a palavra. Vinde para o atacarmos com a língua, e não vamos prestar atenção a todas as suas palavras”.
19Atende-me, Senhor, ouve o que dizem meus adversários. 20Acaso pode-se retribuir o bem com o mal? Pois eles cavaram uma cova para mim. Lembra-te de que fui à tua presença, para interceder por eles e tentar afastar deles a tua ira.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

Responsório (Sl 30)
— Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!
— Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!
— Retirai-me desta rede traiçoeira, porque sois o meu refúgio protetor! Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, porque vós me salvareis, ó Deus fiel!
— Ao redor, todas as coisas me apavoram; ouço muitos cochichando contra mim; todos juntos se reúnem, conspirando e pensando como vão tirar-me a vida.
— A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, e afirmo que só vós sois o meu Deus! Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor!

Evangelho (Mt 20,17-28)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 17enquanto Jesus subia para Jerusalém, ele tomou os doze discípulos à parte e, durante a caminhada, disse-lhes: 18“Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei. Eles o condenarão à morte, 19e o entregarão aos pagãos para zombarem dele, para flagelá-lo e crucificá-lo. Mas no terceiro dia ressuscitará”. 20A mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. 21Jesus perguntou: “Que queres?” Ela respondeu: “Manda que estes meus dois filhos se sentem, no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”. 22Jesus, então, respondeu-lhe: “Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam: “Podemos”. 23Então Jesus lhes disse: “De fato, vós bebereis do meu cálice, mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou”.24Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados contra os dois irmãos. 25Jesus, porém, chamou-os, e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. 26Entre vós não deverá ser assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; 27quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. 28Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Tema Por Premium Wordpress